Voltar à home

Ficar em casa: 13 coisas para fazer com os mais novos

De acordo com o Boletim sobre a situação epidemiológica em Portugal, o número de casos confirmados de infeção pelo novo coronavírus subiu para 78 em Portugal, representando um aumento de 33% desde ontem. Num cenário de maior resguardo em casa, por razões de quarentena voluntária ou pelo eventual encerramento de escolas, o desafio de entreter […]

Partilha

De acordo com o Boletim sobre a situação epidemiológica em Portugal, o número de casos confirmados de infeção pelo novo coronavírus subiu para 78 em Portugal, representando um aumento de 33% desde ontem.

Num cenário de maior resguardo em casa, por razões de quarentena voluntária ou pelo eventual encerramento de escolas, o desafio de entreter os mais novos pode parecer difícil mas só precisamos de alguma imaginação na hora de os ocupar.

Dançar
O repertório não precisa de se reduzir a música infantil. Porque não aproveitar o tempo para mostrar aos mais pequenos ouvintes quais as vossas bandas preferidas ou que músicas vos fazem viajar no tempo?

Ler ou inventar histórias
Podem pegar nos livros de sempre ou até fazer um jogo em que inventem histórias.

Jogos de papel
O clássico jogo STOP pode durar horas: fazem colunas com várias categorias (nomes, objectos, animais, marcas, profissões, filmes, comida, sítios) e sorteiam uma letra do alfabeto. Cada ronda termina assim que o primeiro jogador termine todas as categorias com palavras começadas pela letra sorteada ou ao fim de 1 minuto. Outros jogos de papel são o Jogo do Galo e a Batalha Naval.

Fazer música
Talvez consigam formam uma banda se decidirem tocar com instrumentos musicais existentes ou inventados (tupperwares, tachos, etc.).

Recolher brinquedos
O tempo em casa pode ser ideal para uma selecção de brinquedos que ainda estejam em bom estado para dar, com o envolvimento dos mais novos.

[post-ad]

Desenhar
Com aguarelas, lápis, guaches, canetas de feltro ou cêras. Utilizem as mãos (e porque não os pés também?) e acrescentem colagens de recortes de revistas e jornais.

Fazer teatro
O ponto de partida pode ser uma história preferida. Caracterizem cada personagem com adereços e encenem a peça num canto de casa. À noite, apaguem as luzes e peguem numa lanterna e apresentem o espectáculo final.

Cozinhar
Todos embrulhados em aventais, podem ajudar na preparação das refeições diárias e, se assim entenderem, confecionar bolos, bolachas, gelados ou sumos.

Ver fotografias
Todos viajamos no tempo, mesmo sem sairmos do mesmo lugar, sempre que olhamos para álbuns de fotografias. Façam o mesmo com os mais pequenos e mostrem-lhes fotografias de quando eram bebés, de viagens que fizeram ou experiências especiais.

Construir um esconderijo
Não é preciso ter uma casinha de verdade para brincarmos ao faz de conta. Com almofadas, cadeiras, sofás e uma manta, é fácil fazer uma toca que pode servir para muitas coisas diferentes.

Faz de conta
Mãe, tu és a criança e eu sou a professora ou Pai, eu sou o médico e tu estás doente ou ainda Somos animais na selva. Não há limite para a imaginação e para as personagens que podem recriar.

Fazer ginástica
Com tantos vídeos na internet e com tanta informação, é tão simples tirar meia hora ou uma hora para alongar e para fazer exercício físico.

Jogar ao quente e frio
Escondam objectos numa divisão da casa e vão indicando a proximidade com a temperatura: frio/morno/quente/a escaldar/encontraste!.

Texto: Joana Pires Araújo
Fotos: Banco de imagens

Mais Histórias

Novo Bauhaus Europeu: Sábado (re)imagina-se Coimbra na Rua Adelino Veiga

E se numa rua morassem todos os sonhos de uma cidade? No dia 11 de Junho, entre as 10h e as 19h, qual Cinderela a Adelino Veiga será a Rua Zero enchendo-se de convívio, arte, ideias e sobretudo futuro de possibilidades bonitas, inclusivas e sustentáveis.

quote-icon
Ler mais small-arrow

Este fim-de-semana 100 actividades põem Coimbra a Brincar e ninguém fica de fora

Cerca de meia centena de entidades e empresas da cidade e região ajudam a fazer acontecer a iniciativa da Associação de Paralisia Cerebral de Coimbra, que regressa em força depois dois anos em formato online, com duas palavras de ordem: diversão e inclusão.

quote-icon
Ler mais small-arrow

Comemorações do 25 de Abril: «É preciso mudar e então cantamos mais alto»

Há um espectáculo a convocar crianças e jovens para a ideia e prática da democracia através da música e passou por Coimbra, às portas de mais um Dia da Liberdade.

quote-icon
Ler mais small-arrow