Contribuir small-arrow
Voltar à home

A fotografia ao serviço de diferentes causas e o poder de um olhar irresistível

Houve uma pessoa que me mandou um e-mail há uns tempos, a contar que veio de propósito da Suíça a Leiria buscar um cão, por causa da foto no Instagram, dispara João Azevedo. Em cerca de dois anos de Be My Friend, o projecto que ajuda patudos disponíveis para adopção, o fotógrafo já conta com […]

Partilha

Houve uma pessoa que me mandou um e-mail há uns tempos, a contar que veio de propósito da Suíça a Leiria buscar um cão, por causa da foto no Instagram, dispara João Azevedo. Em cerca de dois anos de Be My Friend, o projecto que ajuda patudos disponíveis para adopção, o fotógrafo já conta com 1880 de cães e gatos fotografados, de Norte ao Sul do país. São 65 sessões em 36 espaços diferentes, quase sempre com uma história triste por trás. 

Está tudo no olhar. De Matosinhos a Cascais, passando por Coimbra, Condeixa e Lousã, mais de um milhar de animais foram adoptados e uma boa parte por causa das irresistíveis fotografias que João Azevedo produz de forma meticulosa e apaixonada. É desafiante, mas na semana passada fui a Cascais e fotografei 60 cães em 2h30. A missão é fotografar o máximo possível, explica. O profissional, com estúdio em Coimbra, conta que são raros os animais propriamente com disposição para serem fotografados, dos mais enérgicos aos mais tímidos, mas isso não é obstáculo. 

É um misto de diversão com stress, mas quando chego a casa e começo a ver as imagens já fico com os olhos a brilhar e apetece-me editar e publicá-las logo. Depois tem a parte das adopções, às vezes são os próprios adoptantes que vêm agradecer as fotos. 

O Be My Friend também já teve uma componente vídeo, em parceria com Mariana Norton. Impedido de fotografar durante o segundo confinamento, João Azevedo começou a fazer montagens vídeo com imagens enviadas por instituições e vozes de figuras públicas. A Inês Santos seguiram-se a de Rui Unas, Inês Castel-Branco e Fernando Alvim, por exemplo. João garante que o impacto foi grande nas redes sociaisLembro-me do Sr. Silva, um cão cego, com a voz do Ivo Canelas, que foi adoptado rapidamente, recorda. A cada clique, aumenta o número e cresce a técnica do fotógrafo, evolui a estética e acontece a experimentação. Isto é acima de tudo um projecto fotográfico, mas que também faz a diferença para aquelas famílias e para aquele cães, define Azevedo, sempre pronto a fazer-se à estrada para tirar a próxima chapa, munido de tela, flash e tripé. 

Coimbra Out Loud

Maomé vai à montanha mas a montanha também vai a Maomé. Ultimamente é grande o corrupio de artistas, desta feita humanos, a entrar e a sair do estúdio de João Azevedo na Arregaça. Começou a segunda ronda de sessões da rubrica Coimbra Out Loud, em parceria com a Coolectiva, com mais de 3 dezenas de peças com fotografias e texto biográfico de músicos de Coimbra ou com grande relação com a cidade.

Além do lado artístico da fotografia, as histórias são sempre muito interessantes, são pessoas cheias de projectos, de ideias, talentosas, e estamos a colocá-las online, pesquisáveis, algumas simplesmente não existiam online, conta o autor do projecto publicado mensalmente. Desde estrelas do rock e punk local, como Victor Torpedo, Afonso Pinto, Kaló e Raquel Ralha, até à cantora lírica Lara Martins, o músico jazz Luís Figueiredo, o jovem Paulo Sousa e o rapper Ruze.

E a transformação funciona para ambas as partes. João confessa que antigamente conhecia as bandas mas não ligava assim muito à música de Coimbra, nem ia a concertos. Hoje, é um habitué da cena musical da cidade e a ideia é um dia o projecto ganhar corpo numa exposição ou mesmo num livro.

Projectos à parte, Azevedo continua a dedicar-se à especialidade que é a fotografia profissional, inclusive bonitas fotos de família, com diferentes cenários – até de Natal. O que o motiva é, sobretudo, o efeito que as sessões têm em quem está do outro lado da lente. Trabalhar as expressões das pessoas, deixá-las espantadas no final com o resultado, diz. A maioria dos meus clientes começa por dizer que não gosta de ser fotografada, ou que nunca ficam bem na fotografia, mas a verdade é que através do jogo de ângulos e expressões saem quase sempre como se estivessem no seu melhor dia. As sessões podem até nem ser por iniciativa própria, o fotógrafo disponibiliza vouchers por isso também podem ser um presente para alguém especial.

Texto: Filipa Queiroz
Fotos: João Azevedo

Mais Histórias

Os mais lidos do ano e uma piscadela de olho para 2022

Mesmo que meio às cambalhotas, com esta pandemia que parece não dar tréguas, chegamos ao fim de mais um ano de coração cheio e com a sensação de missão cumprida. Teimámos em manter as mangas arregaçadas e isso, juntamente com os encontros que foram acontecendo e as boas energias que nos foram chegando desse lado, […]

quote-icon
Ler mais small-arrow

Já viram os Concertos para Bebés programados para 2022?

Na recta final de um 2021 ainda bem desafiante, os Concerto para Bebés renovam as energias com um calendário cheio de coisas boas para descobrir em 2022. Além da programação regular no Convento São Francisco, em Coimbra, a companhia que faz espectáculos para crianças dos 0 aos 3 anos apresenta 11 programas distintos nas salas nacionais. A residência […]

quote-icon
Ler mais small-arrow

ACADEMIA STORIES | Estudo permite descontaminar máscaras de forma simples e barata

Uma equipa multidisciplinar da Universidade de Coimbra (UC) estudou e testou três formas simples e baratas de descontaminação de vários tipos de máscaras de proteção contra a Covid-19, que revelaram uma eficácia de praticamente 100%, permitindo vários ciclos de reutilização. O estudo, coordenado por Marco Reis, docente e investigador do Departamento de Engenharia Química da […]

quote-icon
Ler mais small-arrow
Contribuir small-arrow