Contribuir small-arrow
Voltar à home
Conheçam a equipa

Quem faz a Coimbra Coolectiva

Apoiem este projecto

Cada contributo conta

Quem somos e como é que nos financiamos

Não é preciso especular, contamos tudo o que levou à nossa mudança.

Partilha

Fotografia: Tiago Cerveira

Conheçam a equipa

Quem faz a Coimbra Coolectiva

Apoiem este projecto

Cada contributo conta

Enquanto órgão de comunicação social, somos propriedade da associação sem fins lucrativos COOL – Associação Coimbra Coolectiva – Jornalismo de Soluções. Com a missão de envolver os cidadãos na promoção da sustentabilidade do concelho de Coimbra, dirigem-na Filomena Girão, Gonçalo Quadros e Miguel Antunes, mas a ideia é que o grupo cresça, no sentido de albergar outros cidadãos movidos pela mesma vontade de mobilizar a comunidade, incentivar o activismo cidadão e construir uma Coimbra melhor.

No fundo, trata-se de comunicar Coimbra dando palco às boas ideias que estão a ser postas em prática por todo o concelho e partilhar soluções que estão a acontecer noutras geografias, sem qualquer agenda política, filtros ou interesses escondidos. Procurar e desenvolver soluções, inspirar a comunidade a aspirar a mais e melhor para o lugar onde vivemos é o que move a COOL e ganha corpo na nossa revista, bem como nas iniciativas que queremos desenvolver e que, a seu tempo, vão ser divulgadas. 

Nem a associação nem quaisquer outros apoiantes da publicação interferem nas decisões editoriais. É assim que conseguimos assegurar a nossa independência, prestando contas publicamente sobre como são investidos os contributos que recebemos. Como o diabo está nos detalhes, o artigo 13.º dos estatutos da associação estipula as competências da Direção e não contempla qualquer interferência na estratégia editorial, nem qualquer outro mecanismo de controlo da liberdade de imprensa. A função da Direção é garantir a prossecução do fim social da associação, mas isso não lhe confere controlo na identificação nem desenvolvimento das histórias.

Transitamos assim para um novo conceito, melhorado e construído com base na prática de jornalismo de soluções que, no fundo, assenta numa constatação óbvia de que comunicar o que está mal sem apontar soluções é fazer metade do trabalho. E que o processo de construção de soluções é também uma oportunidade com potencial para activar, desafiar, mobilizar os cidadãos no sentido do desenvolvimento sustentável do lugar onde vivem nos seus três pilares — social, económico e ambiental. 

Um donativo de Gonçalo Quadros dá-nos condições para o arranque do projecto e avançamos sob a única condição de multiplicar esse apoio, construindo um modelo de financiamento sustentável, com base em contribuições de particulares e fundos dedicados ao desenvolvimento de trabalho jornalístico e de inovação social.

Cada contributo, por mais curto que seja, conta. Do nosso lado, mantemos a gratuitidade da revista e periodicidade diária, agora com uma equipa mais robusta, apesar de ainda sem as condições ideais. Trabalhamos diariamente no sentido de que isso aconteça a breve prazo e até lá não pagamos menos do que o que consideramos digno pela produção de informação útil e rigorosa para a nossa comunidade. Quem quiser apoiar o trabalho que desenvolvemos pode fazê-lo voluntariamente através de transferência bancária. Os contributos financeiros são feitos sem qualquer contrapartida, ou seja, não correspondem à prestação de serviços nem à compra de qualquer produto.

Mais Histórias

De Pequeninos se faz esta Liga

Há uma associação sediada no Hospital Pediátrico que não só procura responder às necessidades dos utentes, como de todos os trabalhadores do meio hospitalar. Fomos conhecê-la e saber para que futuro sustentável trabalham.

quote-icon
Ler mais small-arrow

Abriu mais uma porta para transformar a cidade através do voluntariado

A Universidade de Coimbra lançou a inovadora e disruptiva plataforma de voluntariado UC Transforma e o seu braço social, o UC Social, dando espaço e mão a diversas instituições e projectos de voluntariado.

quote-icon
Ler mais small-arrow

Podemos todos decidir através do Orçamento Participativo e há dois abertos em Coimbra

Dizemos quais são as duas únicas juntas de freguesia com inscrições abertas para o mecanismo de democracia participada. Um deles tem uma dotação de 7 500€ e está à espera de propostas.

quote-icon
Ler mais small-arrow
Contribuir small-arrow