Voltar à home
Saibam mais

Programa Bairro Feliz

Regulamento

Bairro Feliz

Há até mil euros para quem quiser tornar o bairro mais feliz

Até 2 de Junho podem candidatar-se ao Programa Bairro Feliz, que na última edição mobilizou quase 500 grupos de vizinhos e 1 500 instituições para as mais variadas causas.

Partilha

Saibam mais

Programa Bairro Feliz

Regulamento

Bairro Feliz

E se renovassem o recreio da creche do vosso bairro? Ou pusessem mais baloiços no parque, comprassem mais livros para a biblioteca, instrumentos para a banda musical, equipamentos para os escuteiros, casotas a associação que cuida dos animais? Estas foram algumas das ideias que convenceram o júri do Programa Bairro Feliz do Pingo Doce, que já distribuiu mais de meio milhão de euros por 587 causas de áreas distintas em todo o país. Causas que, como defende a empresa, representam as carências ou necessidades reais do país.

A última edição nacional do Bairro Feliz, que arrancou em 2021, contou com mais de duas mil candidaturas, que mobilizaram perto de quinhentos grupos de vizinhos e mil e quinhentas instituições. Antes o programa era de âmbito regional e fez-se duas vezes no norte de Portugal, mas agora não só abarca todo o território continental como a Região Autónoma da Madeira e o arquipélago dos Açores.

Como funciona? Cada loja da conhecida cadeia de supermercados apoia uma causa local que promova um impacto positivo na comunidade onde se insere. Acreditando que são os vizinhos quem sabe melhor aquilo que o seu bairro precisa, o programa incentiva a população a mobilizar-se para inscrever ideias que gostariam de realizar em prol do bem-estar do sítio onde moram. No final, são novamente os vizinhos a votar para escolher a causa que cada loja Pingo Doce pode apoiar com até mil euros.

As inscrições estão neste momento abertas e podem submeter as vossas ideias online até 2 de Junho. Podem ser grupos de cinco vizinhos ou entidades como associações, IPSS, fundações, cooperativas, entidades públicas ou privadas. O regulamento está disponível online também e as áreas de abrangência são a Saúde, Bem-estar e Desporto, Apoio Social e Cidadania, Cultura e Património, Turismo e Lazer, Educação e Ambiente e Causa Animal. Os beneficiários da causa devem ser desde bebés e crianças a jovens, a idosos, animais ou a própria natureza. Em Coimbra há seis lojas abrangidas: Celas, Combatentes, Eiras, Rua da Sofia e Portela.

Nas palavras de Filipa Pimentel, Diretora de Sustentabilidade e Impacto Local do Pingo Doce, o Bairro Feliz é «um programa que dá oportunidade e voz aos moradores de cada bairro e às entidades locais» e «a grande mobilização que se verificou na primeira edição nacional, em 2021, reforçou o que já sabíamos – que nós, portugueses, somos muito solidários e atentos ao próximo e, por isso, aderimos a estas iniciativas e a causas comuns». A responsável acrescenta que «se sempre foi importante olharmos uns pelos outros, agora, mais do que nunca, sentimos verdadeiramente a importância de cuidarmos uns dos outros, começando por quem está aqui ao lado, não apenas as nossas famílias, mas quem vive no prédio, na vizinhança, no bairro.»

Estas são as várias fases do processo: inscrições até 2 de Junho, depois as ideias são avaliadas até 9 de Setembro por um júri composto por cerca de duzentos especialistas em diversas áreas de conhecimento. Segue-se a votação, entre 10 de Setembro e 22 de Outubro, e as causas vencedoras são divulgadas a 22 de Outubro. Os vencedores têm seis meses para implementar o projecto. O Programa Bairro Feliz insere-se na área de Sustentabilidade e Impacto Local do Pingo Doce e tem como principal objectivo reforçar o envolvimento com a comunidade local e o compromisso com a vizinhança em cada um dos bairros onde existe uma loja Pingo Doce.

Mais Histórias

Nasce o Centro Social e Cultural da Relvinha mas problemas de acesso e integração continuam a pedir soluções

Depois de quase duas décadas de impasse, uma angariação de fundos e um financiamento público permitem concluir o espaço que já tem programação prevista. Mas quem esteve envolvido no processo garante que é só a ponta do icebergue de problemas que persistem, como a falta de acesso aos programas de financiamento e de integração da chamada zona Norte de Coimbra no resto da cidade.

quote-icon
Ler mais small-arrow

Famílias de Coimbra continuam a acolher famílias de refugiados da Ucrânia com «confiança absoluta»

Recém-chegados falam numa convivência e cumplicidade que vão muito além do mero acolhimento, que acontece desde que começou a guerra no país com a Rússia. Falámos com cidadãos já empregados mas quem presta apoio oficial no terreno fala em dificuldades na procura de habitação a preços acessíveis.

quote-icon
Ler mais small-arrow

Vamos discutir a cidade? Tragam as vossas ideias para a Praça Pública

Não queremos que os assuntos que interessam fiquem pelo café, pelos jantares de amigos e pelas redes sociais por isso criámos uma comunidade online, que está à espera dos vossos contributos.

quote-icon
Ler mais small-arrow