Contribuir small-arrow
Voltar à home
Voluntariem-se

Companhia do Estudo

Partilhem

Mais projectos cool

Vejam

Webinar Companhia de Estudo 2022/2023

Quem quer fazer parte da Companhia do Estudo?

Estão abertas as inscrições para fazer a diferença na vida de uma criança ou jovem através da iniciativa da Critical Software e parceiras Bluepharma, Critical Techworks, Nest Collective e Present Technologies.

Partilha

Fotografia: Cortesia Critical Software, Present Technologies

Voluntariem-se

Companhia do Estudo

Partilhem

Mais projectos cool

Vejam

Webinar Companhia de Estudo 2022/2023

«O que me motivou a participar na Companhia do Estudo foi a memória da minha mãe: era professora de matemática, daqueles professores de alma e coração mesmo. Morreu demasiado cedo e deixou tantos jovens por apoiar… quando recebi o email da Patrícia sobre o projeto, senti que podia continuar o trabalho dela, de algum modo», conta Marta Ávila. Trabalha na Critical Software e acompanhar voluntariamente uma menina chamada Carolina, através do programa Companhia de Estudo. A Patrícia a que se refere é Patrícia Garcia, de quem falámos no início do ano, altura em que reservámos um lugar especial para o projecto da Critical Software na pasta dos Projectos Cool da Coimbra Coolectiva.

Depois dos colaboradores de cinco empresas terem acompanhado semanalmente mais de 240 jovens desde 2021, chegou a segunda edição do programa de mentoria que tem como objetivo combater as desigualdades sociais através da educação. Até ao final do mês, estudantes, professores e voluntário podem inscrever-se na Companhia do Estudo e participar no programa de voluntariado submetendo as suas candidaturas online, a título individual ou em representação da empresa.

«De uma maneira geral, eu e a Carolina, sentamo-nos e revemos as matérias que ela deu durante a semana, normalmente mais focadas no Inglês (onde ela sente mais dificuldades e onde eu, por sorte, me desenrasco), na História e na Geografia, onde normalmente eu estudo e aprendo com ela, recorrendo ao livro escolar e à Wikipedia. Também felizmente, são matérias que aprecio. Depois, por vezes, falamos de questões pessoais da Carolina, que é uma adolescente e, como todos os miúdos dessa faixa etária, por vezes precisa de desabafar», continua Marta. 

«Começámos com sete pessoas e agora já temos muitas mais a dizer que se vão inscrever, conseguimos espalhar a semente na empresa e isso é muito bom, cada vez vamos chegar a mais alunos e mais escolas.»

Carla Nazário, voluntária

A Companhia do Estudo começou como um programa de mentoria para crianças do ensino básico e hoje está assente em quatro pilares de intervenção para apoiar as crianças e jovens a tornarem os seus sonhos e as suas ambições realidade. «Inspirar» e «Motivar» são dois pilares de mentoria. O primeiro visa incentivar as crianças do 3.º ano ao 6.º ano a sonharem e acreditarem num mundo melhor através de sessões individuais que ajudam a desenvolver a sua motivação e confiança, facilitando e orientando o seu percurso escolar. O segundo, para alunos do 7.º ao 12.º ano, consiste em sessões individuais ou em pequenos grupos para incentivar estes jovens a construir o seu futuro promovendo o bom desempenho e a autoconfiança.

Carla Nazário, da Present Technologies, diz que quando a iniciativa bateu à porta da empresa, onde faz parte de uma equipa de responsabilidade social, o entusiasmo foi imediato. «Inscrevemo-nos todos, sobretudo porque não se tratava só de ajudar monetariamente mas toda a equipa estaria envolvida.» O terceiro pilar da Companhia de Estudo é o «Desenvolver», dedicado ao ensino da programação a crianças do 3.º ou 4.º anos e promovendo desde cedo competências analíticas e metacognitivas.

«Éramos sete, duas equipas para o pilar «Desenvolver» e outro entrou no «Motivar». O entusiasmo foi tanto que perguntámos logo qual era a escola com mais crianças desfavorecidas que estávamos dispostos a ir para lá.» Carla conta que já iam preparados para uma escola diferente a nível de contexto sócio-económico, mas calharam-lhes turmas com desafios acrescidos: duas crianças bilingues, que precisavam de comunicar através de linguagem gestual, e um cego. «Foi o nosso maior desafio, fizemos tudo para não excluí-lo e conseguimos. Acabei por ficar eu a acompanhá-lo, arranjei uma alternativa de ele programar numa folha de excel, fazer um trabalho para apresentar aos colegas no final e penso que foi muito bem sucedido, deu muita satisfação, pelo menos a mim e a ele deu», conta. «É uma experiência espectacular.»

O Companhia de Estudo tem o apoio da Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação da Universidade do Porto, CASPAE e Clínica da Educação e dos colaboradores das restantes quatro empresas fundadoras: Bluepharma, Critical Techworks, Nest Collective e Present Technologies. Tem ainda tem um quarto pilar, o «Expandir», que pretende proporcionar experiências que possam abrir horizontes das crianças e jovens. Contou com mais de 75 voluntários e conseguiu chegar a 22 escolas ou instituições de educação desde Mirandela até Lisboa.

Segundo Patrícia Garcia, para a nova edição «conta com ainda mais vontade dos nossos colaboradores de inspirar e motivar estas crianças e jovens a construir um futuro melhor. Este é um trabalho contínuo de acompanhamento onde todas as partes conseguem retirar aprendizagens para a vida» e nota que a Critical Software sempre teve como missão ser uma empresa com uma actividade que impacta positivamente a comunidade e que defende que todos os alunos devem ter as mesmas oportunidades, por isso, e com a ajuda de várias empresas parceiras, a tecnológica com sede em Coimbra pretende «continuar a levar este programa a cada vez mais jovens de norte a sul do país».

Marta Ávila acompanha Carolina uma vez por semana, deslocando-se às instalações da associação de moradores que estabeleceu parceria com a Companhia do Estudo. Carla Nazário diz que mal as equipas terminaram o programa inscreveram-se logo novamente e «alargámos o projecto a mais colegas, temos mais gente a querer participar». A voluntária garante que a experiência não podia ser mais gratificante e que o projecto, além de alterar a vida de crianças que não têm acompanhamento em casa, faz com elas «ouçam de alguém que podem fazer certas coisas e sentirem que são capazes», além de, no caso das aulas de programação, ser uma oportunidade em escolas que não têm essa componente nos seus programas. «Começámos com sete pessoas e agora já temos muitas mais a dizer que se vão inscrever, conseguimos espalhar a semente na empresa e isso é muito bom, cada vez vamos chegar a mais alunos e mais escolas.»

Conhecem as empresas parceiras da Companhia do Estudo, sediadas em Coimbra?


Fundada em 1998, a Critical Software é uma empresa internacional de tecnologia, especializada no desenvolvimento de soluções de software e fornecimento de serviços de engenharia para suporte a sistemas críticos e confiáveis, orientados à segurança, à missão e ao negócio de empresas. Colabora com clientes internacionais em setores tão diversos como espaço, aeronáutica, energia, defesa, finanças, ecommerce, dispositivos médicos e transportes. Actualmente, a empresa conta com mais de 1000 colaboradores nos seus escritórios em Portugal, Reino Unido e Alemanha, sendo uma das poucas empresas tecnológicas no mundo a ter processos de desenvolvimento de software ágeis e em cascata classificados com CMMI® Nível 5. A empresa alcançou o estatuto de Investors in People Gold e é certificada pela B Corp, refletindo o seu compromisso com a sustentabilidade, social e ambiental, e transparência no desenvolvimento de negócios para o bem comum.

O Grupo Bluepharma é hoje um dos mais empreendedores e inovadores no sector farmacêutico, tendo já conquistado um assinalável prestígio não só em termos nacionais, mas também nos mais exigentes mercados internacionais. Ao longo dos seus 20 anos, a Bluepharma transformou uma unidade industrial que empregava 58 pessoas e que operava para o mercado nacional num grupo farmacêutico de 20 empresas e que emprega mais de 700 colaboradores. Abriu delegações em 4 países (Espanha, Angola, Moçambique e EUA) e exportou, em 2019, 88% da sua produção para mais de 40 países. A actividade da Bluepharma percorre toda a cadeia de valor do medicamento, desde I&D até ao mercado, impondo-se pela excelência da sua unidade de produção, pela qualidade e formação dos seus Colaboradores e pela experiência e dinamismo da sua equipa de gestão.

É uma joint venture criada para liderar o futuro da mobilidade. Criada em 2018, a Critical TechWorks é uma empresa formada como resultado de uma parceria entre o Grupo BMW e a Critical Software, constituída exclusivamente para apoiar a BMW na construção de software para as suas futuras máquinas de condução.

A empresa de Tecnologias de Informação, com escritórios também no Porto e Sertã, foi criada no ano 2000 por um grupo de pessoas apaixonadas por tecnologia e sempre a olhar para o futuro. É reconhecida pela qualidade dos resultados e pelo comprometimento que assume em cada projeto, tendo neste momento clientes em diferentes geografias e continentes, sendo cerca de 80% do volume de negócios de origem internacional. Criar relacionamentos pessoais e de proximidade tem sido a chave para colaborações de confiança, bem-sucedidas e duradouras.

O Nest é um colectivo de estúdios de produto que criou um modelo de colaboração entre empresas e incubação. Em vez de construirmos um grande grupo de consultoria genérica, escolhemos manter os nossos estúdios pequenos e ágeis, focados nos seus conhecimentos tecnológicos específicos. Desta forma, podemos retirar os melhores conhecimentos dos nossos estúdios especializados, sendo ao mesmo tempo capazes de lidar com projectos maiores e multitécnicos.

Mais Histórias

Ideias Fixes para Copiar | Na Comunidade de Aprendizagem das Cerejeiras educar não é ensinar

Não é uma escola. Já foi e ficava em Penela. Há sete anos, e agora no Rabaçal, 36 crianças dos 3 aos 14 anos e de 10 nacionalidades frequentam a CAC e já há 15 em lista de espera para o próximo ano letivo.

quote-icon
Ler mais small-arrow

Vamos beber um copo? Dia 6 há novo speed meeting na Praxis

O que mudaram este ano? E o que contam mudar no próximo? Voltamos a encher uma sala de perfeitos desconhecidos com vontade de se conhecerem e de conversar na cidade.

quote-icon
Ler mais small-arrow

A diversidade tem sabor A Leste e forma de chaminé na zona histórica

Achavam que não cabia mais doçaria em Coimbra, e em particular no Quebra Costas? Pois há um novo residente e vem da Polónia.

quote-icon
Ler mais small-arrow
Contribuir small-arrow