Contribuir small-arrow
Voltar à home
    Sugiram

    Mais vozes

    Opiniem

    Queremos saber

    Leiam também

    A inacessível Coimbra para quem mais precisa de acesso

    Opinião | Estágio adiado por causa de um elevador público

    Por Francisca Tralhão

    Partilha

    Fotografia: Bruno Kelzer, Unsplash

    Sugiram

    Mais vozes

    Opiniem

    Queremos saber

    Leiam também

    A inacessível Coimbra para quem mais precisa de acesso

    Nasci com um problema motor, por isso desloco-me em cadeira de rodas, e neste momento vejo-me impedida de fazer o meu estágio extracurricular de forma presencial devido à avaria de um elevador num edifício da Câmara Municipal de Coimbra.

    Em Outubro, fui aceite num estágio extracurricular na Coimbra Coolectiva. Entrei em contacto com a direcção da revista que prontamente se disponibilizou para reunir comigo. No entanto, essa primeira conversa teve de ser online uma vez que o elevador do Cowork Pátio, onde trabalham, estava avariado. Os responsáveis pelo espaço municipal informaram que a situação ia ser resolvida no prazo de duas semanas. 

    Passadas duas semanas, e depois de o início do estágio ter sido adiado, a situação manteve-se e a Coimbra Coolectiva fez uma queixa por escrito. Foi decidido que o estágio começasse entretanto, mesmo tendo de realizar-se inicialmente online e, na passada sexta-feira, dia 9 de Dezembro, fomos informadas de que o elevador já estava a funcionar e pronto a ser utilizado. Na segunda-feira seguinte, desloquei-me finalmente ao espaço municipal para trabalhar e fiquei de novo impedida de entrar porque o elevador voltou a deixar de funcionar.

    Passaram quase dois dos três meses de duração do estágio e ainda não tive condições para o realizar de forma presencial, de modo a perceber o funcionamento de uma redação. 

    E se fosse convosco? 

    Consciente de que a situação escapa ao controlo  da Coimbra Cooletiva, considero-a extremamente desagradável pois as pessoas com mobilidade reduzida, no meu caso em cadeira de rodas, deviam ter obrigatoriamente condições de acesso a todos os locais, sem exceção. É lamentável a forma como a autarquia, num espaço supostamente aberto a todas as pessoas através de candidaturas, não tenha o máximo de cuidado de forma a assegurar que este tipo de situações não acontece. 

    Francisca Tralhão, estudante do curso de Jornalismo da Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra

    Mais Histórias

    Opinião | SMTUC: como fazer uma omeleta sem ovos

    Por Tomás Batista

    quote-icon
    Ler mais small-arrow

    Mensagem Cidadã | O Jardim Botânico celebra 250 anos da sua criação

    João P. Simões

    quote-icon
    Ler mais small-arrow

    Opinião | A banalidade do mal: por que tem de ser a vítima a deixar a escola?

    Por Dina Margato

    quote-icon
    Ler mais small-arrow
    Contribuir small-arrow